#UERJRESISTE

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

I Encontro Carioca de Comunicação Alternativa LATECA UERJ

No dia 31 de outubro de 2018 foi realizado na UERJ o I Encontro Carioca de Comunicação Alternativa LATECA UERJ. Foram 241 participantes dentre eles: alunos e ex alunos da graduação e pós-graduação da UERJ, professores da rede pública e privada do Rio de Janeiro e outras pessoas interessadas no tema. O evento proporcionou um importante espaço de debate e divulgação da área da Comunicação Alternativa, apresentando o que a vem sendo produzido na UERJ em termos de ensino, pesquisa e extensão. A programação foi organizada em três momentos. Primeiro a mesa sobre “Formação Inicial em Comunicação Alternativa e Ampliada (CAA) e Adaptações Pedagógicas – Experiências dos alunos da disciplina Pesquisa e Prática Pedagógica (PPP)” coordenada pela Profª Dra Cátia Walter, na qual seis graduandos de Pedagogia apresentaram seus trabalhos de conclusão de PPP. A segunda mesa, intitulada “Mesa dos usuários de Comunicação Alternativa (CA)” foi coordenada pela Profª Carolina Schirmer e contou com a participação de duas colaboradoras do LATECA usuárias de Comunicação Alternativa. Na mesa elas puderam apresentar seus sistemas de comunicação alternativa e relatar suas histórias de vida. A última mesa foi a “Salas Abertas – Professoras das Salas de Recursos Multifuncionais – SME/RJ”, coordenada pelas professoras Leila Nunes e Carolina Schirmer. Essa mesa foi dedicada a mostrar o processo de formação continuada de professores e a prática pedagógica em CA, apresentaram seus trabalhos sete professoras da rede pública de ensino do município do Rio de Janeiro. Ao final do evento houve a inauguração da Sala Leila Nunes (sala 12117 bloco F), espaço dedicado a formação inicial de professores em Comunicação Alternativa e Tecnologia Assistiva. A sala foi totalmente reformada com apoio da FAPERJ em edital concedido à profa. Cátia Walter. Também ocorreu o lançamento do livro “Salas Abertas: a formação continuada de professores das salas de recursos multifuncionais do rio de janeiro em tecnologia assistiva”, organizado pelas professoras Leila Nunes e Carolina Schirmer (apoio CNPq e FAPERJ). O eBook está disponível gratuitamente no site da http://www.eduerj.com.

A data foi escolhida em função de Outubro ser considerado internacionalmente pela ISAAC – International Society for Augmentative and Alternative Communication, como o mês  onde todos se mobilizam para desenvolver ações de conscientização sobre a importância da Comunicação Alternativa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

JOGOS PARALÍMPICOS UNIVERSITÁRIOS 2017

As disputas dos  Jogos Paralímpicos Universitários 2017 começaram nesta sexta-feira, 28, no Centro de Treinamento (CT) Paralímpico, em São Paulo. Desde quarta-feira, 26 o  CT recebe atletas de todo o Brasil.

Jonatan Gabriel da Silva Valim, aluno do quinto período de Pedagogia da  UERJ, ficou em terceiro lugar em sua categoria.  Jonatan perdeu a visão tem cinco anos e pratica judô desde 2013.

28/07/2017 - Jogos Paralímpicos Universitários - Judô
(Jonatan Gabriel de faixa azul)

Os Jogos Paralímpicos Universitários 2017 são organizados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) em parceria com a Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU). A competição oferece seis modalidades (atletismo, bocha, judô, natação, parabadminton e tênis de mesa) e se estende até este sábado, 29, com provas das 8h às 18h. Aos todo, são 200 atletas inscritos representando 20 estados e o Distrito Federal.

foto 2

(Jonatan Gabriel com sua medalha de Bronze – UERJ)

 

MARCHA EDU PARA REDES SOCIAIS V2

DIVULGAÇÃO GERAL

CARTA ABERTA A TODA A COMUNIDADE DA UERJ

À Reitoria, aos Diretores de Centro Setorial, aos Diretores de Unidades Acadêmicas e Administrativas, aos Supervisores/Coordenadores de Projetos cadastrados na SR-1, SR-2, SR-3, aos Coordenadores de Núcleo de Extensão e aos Estudantes Bolsistas de cada um desses Projetos

A crise do Governo do Estado tem atingido de forma dramática a nossa UERJ, quer seja na redução dos recursos de custeio, quer seja no atraso do pagamento de nossos salários,no pagamento do 13º/2016, bem como o atraso no pagamento das diversas modalidades de bolsas. A edição da 27ª UERJ SEM MUROS, que não ocorreu em 2016, por motivo da greve dos três segmentos da Universidade, tem, nesta edição, a ser realizada em 2017, o seu maior sentido que é o de, sob forma de resistência, apresentar à sociedade e ao público interno, o conjunto de atividades acadêmicas e culturais produzidas no interior dos diversos Projetos cadastrados, respectivamente, na SR-1, SR-2e SR-3, bem como resistência essa que se contrapõe ao projeto de desmonte da educação pública, onde o Estado do Rio de Janeiro será utilizado como caso exemplar para todo o país. Assim, e apesar da forma como o governo do ERJ vem tratando as instituições públicas estaduais, e em especial a nossa UERJ, as 3 SRs se manifestam pela manutenção da 27ª Edição da UERJ SEM MUROS, como estava planejado, desde o início deste ano. Isto porque, existem grandes expectativas por parteda comunidade interna e externa (professores e estudantes das escolas, públicas e privadas, movimentos sociais, idosos, entre outros) na realização das atividades já anunciadas, desde setembro de 2016. A data atual da USM veio desde 2016 sendo redimensionada, até que, em janeiro de 2017, ao retornarmos as atividades, ficou acordada, pois se tratava, reconhecidamente por todos, de uma atividade explícita, de resistência e de reconhecimento ao trabalho de todos os envolvidos em Projetos. Tal decisão foi compartilhada com a Administração Central, e, ainda, junto ao Fórum de Diretores.

A UERJ SEM MUROS terá várias atividades:  vacinação, manifestações culturais, mostras de atividades de cada um dos Projetos, com a expectativa de envolvimento de mais de 10.000 pessoas. Nessa Edição, colegas pesquisadores, estudantes e professores da FIOCRUZ estarão conosco na conferência de abertura, na qual será homenageado o ilustre Sanitarista, Cientista e Pesquisador, o brasileiro Oswaldo Cruz, pelos 100 anos de sua ausência. Todos os convites já foram enviados, interna e externamente, e, por este motivo, estaremos recebendo professores, estudantes e representantes de diversas escolas – públicas e privadas- e de muitas outras instituições parceiras, fazendo com que nossa Universidade cumprasua função e papel social como universidade pública, gratuita, de qualidade, inclusiva, e socialmente referenciada.

Nessa Edição também as unidades externas FEBF, FFP e FAT já estão com as suas programações organizadas, algumas envolvendo atividades externas a esses Campi, como praças, ruas e centros culturais, nas referidas localidades.  E em respeito a todos esses esforços e compromissos que a 27ª USM, com todas as dificuldades enfrentadas neste momento de crise, bravamente, por todos de nossa Universidade, é que decidimos pela realização da USM nas datas previstas.

É importante destacar que pela falta de custeio porque passamos, foi muito difícil encontrar os recursos, ora bastante escassos, para a produção de todo o material básico necessário à realização das atividades da USM e que já estão prontos.

A posição das 3 Sub Reitorias é a de que adiar a UERJ SEM MUROS, às vésperas do Evento, significará esmorecer diante de tantasadversidades, às quais todos temos resistido com garra e luta. Realizarmos a USM significará resistir, mais esta vez, por isso, convidamos os nossos Docentes, Técnicos Administrativos e Estudantes a apresentarem seus trabalhos, com força e firmeza, o que incluirá, também, a apresentação de nossas atuais dificuldades. Dificuldades essas que não foram produzidas pela comunidade Uerjiana.

Os trabalhos poderão ser apresentados através de formatos variados: bannres(de lona, cartolina, papel pardo, outros tipos de papel), tablets, celulares, notebooks. Essa ampliação de possibilidade justamente demonstrará a nossa criatividade, a flexibilidade diante do cenário vivido e, mais que tudo, o nosso compromisso com a resistência e com a sociedade como um todo.

Os avaliadores estão cientes de que a crise nos atinge de forma dramática, e que participar da apresentação dos Projetos da USM visa, acima de tudo, colocar a centralidade do diálogo entre todos da comunidade acadêmica, com seus parese com a sociedade.

É nesse momento de grave crise que a UERJ se insere e se constitui em forma primordial de resistência, de luta e de manifestação pública de reafirmação da sua existência, expressão de sua qualidade acadêmica e de sua riqueza construída através da pluralidade de ações e de atividades produzidas cotidianamente em seus diversos Campi, espalhados por todo o nosso Estado.

#A UERJ resiste#

Agradecemos a todos os docentes, técnicos administrativose estudantesenvolvidos na organização e na realização da 27ª USM, em todos os Campi, já que, apesar da crise, têm feito excelente trabalho, demonstrando, comprometimento, afinco, dedicação e luta, apesar dos atrasos dos salários e bolsas, e das humilhações que temos vivido, oriundas da atual conjuntura.

A USM é exemplo de resistência e de luta! Porque a UERJ sempre resistirá!

“Sem esmorecer, para não desmerecer.”

Oswaldo Cruz

Rio de Janeiro, 19 de abril de 2017

As Sub Reitorias

_______

CARTA ROGER CHARTIER

Anúncios